Quer se dar bem no vestibular? Confira o ‘caminho das pedras’

16/11/2007 20:30:54

Por Cristina Cople

No último domingo, 11, a primeira fase do vestibular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) abriu a maratona de provas das federais.

O professor Helcio Gomes, coordenador pedagógico do curso Miguel Couto, deu o caminho das pedras para quem quer se dar bem no vestibular, começando pela UFRJ.

De acordo com o professor, a característica da banca de provas é a valorização de respostas fechadas, que são aquelas que respondem exatamente o que foi pedido no enunciado.

“Leia o verbo de comando da pergunta! A pergunta costuma vir em ‘bold’ (negrito) e o verbo é muito nítido. Não se deve ampliar a resposta, o que é comum aos candidatos da área de humanas. Por exemplo, se a pergunta disser: ‘cite duas características da ocupação holandesa no Brasil’, não adianta descrever todo o processo de colonização que ocorreu antes desse período”. Ao responder de forma direta, o aluno atende às expectativas da banca e evita pedidos de revisão de prova.

DISCURSIVA É MELHOR!

Em entrevista ao telejornal Bom Dia Rio, da TV Globo, o coordenador do vestibular da UFRJ, Luiz Otávio Langlois, disse que o aluno sai em vantagem quando a prova é discursiva.

“A prova é trabalhosa. Nossa recomendação é que o candidato responda com muita atenção e muita calma. Há uma pontuação intermediária que vai ser valorizada. Quando trabalhamos com provas discursivas, em cada questão o aluno vai ser avaliado duplamente, tem que ser um bom leitor e também bom autor”.

Segundo o professor Hélcio Gomes, a prova da UFRJ não tem pegadinhas.

“A prova é feita com muita técnica e lisura, além de muita habilidade. A pessoa pode pensar: ‘isso é fácil demais… será que está errado?’ A resposta é: não! Há perguntas fáceis de assombrar!”, completa.

ESCALA DE DIFICULDADES

A prova é composta por cinco questões discursivas (não há qualquer questão de múltipla escolha) em escala crescente de dificuldade. A primeira questão costuma ser mais fácil e a última, mais difícil. Hélcio Gomes orienta os estudantes a pensarem na prova como um conjunto.

“O candidato precisa somar pontos, então é melhor responder as três primeiras questões, que são mais fáceis, de todas as matérias e só então responder as mais difíceis. As questões mais longas também ficam para o final. O candidato deve buscar o fácil, o imediato”.

MATÉRIAS

O que todo mundo quer saber é o que vai cair na prova. Não há como saber o que se passa na cabeça daqueles que elaboram as questões, mas o professor Hélcio Gomes realizou uma análise dos últimos sete anos para identificar os temas mais abordados.

Ele afirma que na prova de matemática, por exemplo, em 60% dos casos, o candidato não vai usar fórmula ou equação, vai usar apenas sua habilidade para decodificar o enunciado e resolver a questão.

NÃO MUDE A ROTINA

De acordo com Hélcio Gomes, a UFRJ tem um perfil diferenciado das demais universidades federais, porque sua meta é formar pesquisadores. Por isso, a universidade busca o aluno que seja criativo, sem perder em conteúdo e formação.

Outra dica do professor é que, no dia anterior à prova, o candidato faça o que está habituado a fazer e não mude sua rotina.

No “dia D”, o mais importante é sair de casa cedo. Nos domingos, a freqüência do transporte é menor e o candidato pode perder o esforço de um ano inteiro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s